Maternal

Investimento: R$ 

OBJETIVO GERAL DA EDUCAÇÃO INFANTIL

• Promover ações que propiciem o desenvolvimento integral da criança de 04 a 05 anos de idade, em seu aspecto físico, psicológico, intelectual e sócio afetivo complementando a ação da família e da comunidade.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

• Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

• Descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidados com a própria saúde e bem-estar;

• Estabelecer vínculo afetivo e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua auto-estima e ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e integração social;

• Estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e desenvolvendo atitudes de ajuda e colaboração, visando à formação de um cidadão critico;

• Observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação;

• Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

• Utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas idéias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva;

• Conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação frente a elas e valorizando a diversidade.

 

Ensino Funtamental

Investimento: R$ 

OBJETIVO GERAL DO ENSINO FUNDAMENTAL

• A ampliação do Ensino Fundamental para 9 anos requer reelaboração da proposta pedagógica e dos projetos pedagógicos das escolas, de modo a assegurar às crianças de seis anos o seu pleno desenvolvimento em seus aspectos físico, psicológico, intelectual, social e cognitivo. Assim sendo, o primeiro ano do Ensino Fundamental de 9 anos não se destina exclusivamente à alfabetização e, sim, à possibilidade para qualificar o ensino e a aprendizagem dos conteúdos da Alfabetização e do Letramento. Não se deve considerar esta a única forma de promover o desenvolvimento das crianças nessa faixa etária e, sim, o acesso ao conhecimento nas suas diversas áreas.

• O ponto de partida dessa reflexão é conhecer as crianças, nessa faixa etária, saber quais são os seus interesses e suas preferências, suas formas de aprender, suas facilidades e dificuldades.

• Esse enfoque coloca a proposta pedagógica da escola em um lugar estratégico, pois, constitui–se de atividades significativas e desafiadoras, capazes de impulsionar o desenvolvimento e de amplificar as experiências e práticas socioculturais da criança de seis anos. Mediamos suas relações com os elementos da natureza e da cultura ao trabalharmos as Unidades, tais como: A comunicação através dos tempos – Construção da identidade e os conteúdos do segundo livro, como um todo.

• O estudo articulado das Ciências Sociais, das Ciências Naturais e Artes residem, especialmente, no desenvolvimento da reflexão crítica sobre os grupos humanos, suas relações, suas histórias, suas formas de se organizar, de resolver problemas, de viver em diferentes épocas e locais.

• As crianças, através dos estudos dos projetos e das atividades sugeridas  podem ampliar a compreensão da sua própria história, da sua forma de viver, de se relacionar e identificar diferenças e semelhanças entre as histórias vividas pelos colegas, por outras pessoas e por grupos sociais próximos ou distantes.

• Na área das Linguagens, é também objetivo principal ampliar a curiosidade dos alunos, incentivá-los a levantar hipóteses e a construir conhecimentos sobre os fenômenos químicos e físicos, sobre os seres vivos e sua relação com a natureza. Ao promovermos situações de aprendizagens sobre experiências matemáticas, estamos favorecendo o desenvolvimento do raciocínio lógico e a capacidade de utilização de cálculos dos alunos, focando a função social da Matemática, para leitura e representações numéricas existentes no mundo atual.

 

Ensino Médio

Investimento: R$ 

OBJETIVO GERAL DO ENSINO MÉDIO

“O Ensino Médio, etapa final da Educação Básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidade :

I – a consolidação e aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos;

II – a preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico;

III – a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina.”

É importante compreender que a Base Nacional Comum não pode constituir uma camisa de força que tolha a capacidade dos sistemas, dos estabelecimentos de ensino e do educando de usufruírem da flexibilidade que a lei não só permite, como estimula. Essa flexibilidade deve ser assegurada, tanto na organização dos conteúdos mencionados em lei, quanto na metodologia a ser desenvolvida no processo de ensino-aprendizagem e na avaliação.

As considerações gerais sobre a Lei indicam a necessidade de construir novas alternativas de organização curricular comprometidas, de um lado, com o novo significado do trabalho no contexto da globalização econômica e, de outro, com o sujeito ativo que se apropriar-se-á desses conhecimentos, aprimorando-se, como tal, no mundo do trabalho e na prática social.

Ressalve-se que uma base curricular nacional organizada por áreas de conhecimento não implica a desconsideração ou o esvaziamento dos conteúdos, mas a seleção e integração dos que são válidos para o desenvolvimento pessoal e para o incremento da participação social.

Essa concepção curricular não elimina o ensino de conteúdos específicos, mas considera que os mesmos devem fazer parte de um processo global com várias dimensões articuladas.

O fato de estes Parâmetros Curriculares terem sido organizados em cada uma das áreas por disciplinas potenciais não significa que estas são obrigatórias ou mesmo recomendadas. O que é obrigatório pela LDB ou pela Resolução nº 03/98 são os conhecimentos que estas disciplinas recortam e as competências e habilidades a eles referidos e mencionados nos citados documentos.

Comentários Facebook